Artigo de opinião

O naufrágio da Paramaker

Artigo continua após publicidade.

Um jovem que começou a produzir vídeos para a internet em 2010, que fez sucesso com o “Não Faz Sentido”, que teve o primeiro canal brasileiro a alcançar a marca incrível de um milhão de inscritos, Felipe Neto, inspiração para muitos, criou a Parafernalha e depois se juntou à Maker Studios para a criação da Paramaker.

Se você acompanha muito o YouTube com certeza já ouviu falar na Paramaker, a primeira network brasileira que prometia trazer muitos benefícios para o mercado nacional e colocar essa plataforma em um nível maior. Isso foi verdade durante algum tempo, muitos canais entraram na network, foram criadas campanhas junto aos youtubers, participação em eventos, workshops, além da época de ouro da editoria de canais de games da rede, a The Game Station Brasil, que teve um gigantesco crescimento se destacando nessa categoria e ainda oferecendo divulgação dos membros.

Artigo continua após publicidade.

Muito se falava que essa era a melhor network, que tinha vários benefícios aos parceiros, mas isso se tornou passado. A partir de 2015, os canais da Paramaker começaram a observar uma certa inatividade relacionada à empresa, isso acabou resultanto – e resulta até hoje – em mensagens falando mal, pedindo a desvinculação, e até petições. Uma dessas foi criada por um pequeno grupo de youtubers insatisfeitos com a rede, em julho de 2015. A resposta à essa primeira petição foi rápida e resolveu alguns dos problemas citados nesse abaixo-assinado, que foi retirado do ar depois disso.

Fonte: AdNews
Fonte: AdNews

Em setembro de 2015 foi anunciada a compra da Paramaker por uma empresa da França, a Webedia, que administra vários sites, como o “Tudo Gostoso” e “IGN Brasil”. Falando nisso, a antiga TGS Brasil ficou parada durante meses no ano passado. Disseram que estavam passando por uma reformulação, o que é verídico até certo ponto já que a multinacional estrangeira decidiu unir a TGS junto à IGN e investir dinheiro na criação da “IGN Brasil Network”, que foi anunciada na BGS 2015 e não obteve quase nenhum sucesso. O público estava ansioso aguardando algo pelo menos no patamar da antiga The Game Station Brasil, porém se decepcionaram ao ver que a Paramaker perdeu aquele profissionalismo que tinha até então. Isso pode ser verificado ao acessarmos o canal de games e ele não apresentar atividades recentes. Parece que o grupo francês desistiu de produzir esse canal, ou pelo menos estão novamente reformulando ele.

No dia 17 de dezembro, a Paramaker demitiu diversos funcionários, dentre eles está Snaizen, Platina e Pit, que trabalhavam na empresa e eram os que davam a identificação ao canal da TGS. Visto isso, novamente o grupo de youtubers abriu uma petição, desta vez um pouco mais extensa explicando tudo sobre a insatisfação deles com a network. A rede não deu muita importância para isso, apenas denunciou o abaixo-assinado como “difamatório”.

Artigo continua após publicidade.

Vale lembrar também que o atual CEO da empresa já conversou comigo e com o meu amigo Lucas Lopes (também da equipe do Universo Youtuber) por Skype. Foram quase 2 horas conversando sobre a network, a Maker Studios, a Webedia, o YouTube, etc. Nessa chamada ele nos disse que a Paramaker estava passando por dificuldades financeiras, já por outro lado, Felipe Neto (atual CCO) afirma no Facebook que ela não estava passando por nenhum problema econômico. No Twitter, no mesmo dia em que foi anunciada a demissão de alguns funcionários, Neto disse que a Paramaker “está na fase mais sólida de sua história”.

O suporte está parado, os parceiros abrem um ticket e não obtém respostas, a divulgação de canais no canal da IGN Brasil Network e no Facebook da rede também não estão funcionando, vários e-mails de funcionários da Paramaker foram desativados e quando tentamos entrar em contato a mensagem não é enviada. Além disso, nem Facebook e Twitter são atualizados e também não obtemos respostas por lá.

Podemos comparar com a BroadbandTV Brasil junto ao Controle 2, que são ativos nas redes sociais, respondem os parceiros, seja por Facebook, Twitter ou e-mail, além de divulgar alguns canais. Também possuem um lugar chamado “Universidade BBTV”, onde os membros encontram diversos conteúdos sobre o YouTube, incluindo tutoriais, vídeos, imagens e textos. Já na Paramaker, não podemos falar muito. Os único lugares onde faziam a divulgação dos parceiros eram no canal da antiga TGS Brasil e no Facebook da rede, ambos estão parados. Prometeram criar as áreas de “ganhos” e “analytics” faz mais de um ano e até agora nada. A parte de canais também está desatualizada.

Fonte: Central Paramaker
Fonte: Central Paramaker

Tínhamos o contato de suporte da Thaís Paiva, foi demitida, do Luccas Neto, foi demitido, do Bernardo, foi demitido. Todos que tínhamos contato foram demitidos. Procuramos pelo CNPJ da Paramaker, não o encontramos e também não tivemos resposta sobre isso.

A network fica com uma grande parte do valor gerado pela monetização dos nossos vídeos, isso já é um pouco ruim mas piora quando não oferecem os benefícios prometidos. Induzir youtubers a vincularem canais falando que eles terão suporte e outros benefícios e depois de um tempo eles pararem de oferecer esses serviços, é manipulação. Na nossa opinião eles deveriam desvincular os canais insatisfeitos da rede já que não estão trabalhando mais com os parceiros. Sabemos que temos contrato com a Maker Studios, mas iremos dar um exemplo: no começo a Paramaker prometeu que não teríamos suporte em inglês.

Fonte (vídeo): "Primeira network Brasileira - PARAMAKER"
Fonte (vídeo): “Primeira network Brasileira – PARAMAKER”

Já em 2015, eles pedem para que entremos em contato diretamente com a Maker para tratar sobre as questões do contrato.

ATUALIZAÇÃO: No dia da publicação desse artigo vimos que o Facebook da Paramaker foi retirado do ar.

Será mesmo que 2016 será glorioso? Exatamente na época em que vários membros estão insatisfeitos, em que vários canais estão deixando a rede, em que a Central está inativa, em que o suporte não funciona. Será mesmo que a Paramaker está na fase mais sólida de sua história? Talvez esteja na sua fase mais sólida de verba, não de serviço.

Criamos um grupo de insatisfeitos com a Paramaker, faça parte clicando aqui

 

Fonte: Paramaker

 

 

Talvez possa gostar

João Lucas Anacleto

19 anos, londrinense, estudante de Direito e Administração, idealizador e redator desse extraordinário projeto dos deuses chamado Influverse e capitalista...sim, CA-PI-TA-LIS-TA! Tem algum problema?

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios